I'm a bad girl
É burrice, eu sei. Mas sinto falta. Queria que o tempo voltasse, só pra viver tudo de novo.
Katy Perry. (via senti-mentalizar)
Quando encontrar alguém e esse alguém fizer seu coração parar de funcionar por alguns segundos, preste atenção: pode ser a pessoa mais importante da sua vida. Se os olhares se cruzarem e neste momento, houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta: pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu. Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante, e os olhos se encherem d’água neste momento, perceba: existe algo mágico entre vocês. Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça: Deus te mandou um presente: O Amor.
Carlos Drummond de Andrade.   (via adesejar)
Posted 29 July 2014, 8 hours ago | 1,665 notes | reblog this post
(originally desalojado / via adesejar)
Você lembra de quando e como tudo começou? Se não, tente lembrar. Só agora, só um pouquinho. Reviva tudo o que passamos e me diz se foi bom, se valeu a pena. Cada palavra, tentativa, sorriso ou até mesmo as lágrimas que caíram. Converse comigo e me conte o que achou. Eu preciso saber se você gostou na mesma intensidade que eu, se você sofreu junto comigo. Eu preciso saber se você me amou de verdade. Por que você chegou e depois foi embora? Eu quis e ainda quero você aqui comigo. Eu fiz tudo o que estava ao meu alcance, mas você decidiu ir.
February, 1995.   (via adesejar)
Posted 29 July 2014, 13 hours ago | 55 notes | reblog this post
(originally poesografias / via adesejar)
Posted 29 July 2014, 20 hours ago | 1,322 notes | reblog this post
(originally 31diaspara19 / via r-e-d-b-u-l-l)
Toda noite você chora até dormir
Pensando “Por que isso acontece comigo?”
Por que todo momento tem que ser tão difícil?
Maroon 5. (via suplicais)
Posted 29 July 2014, 20 hours ago | 3,478 notes | reblog this post
(originally construindoversos / via suplicais)
Desistir. Não é nenhum ato de medo ou covardia, mas sim de coragem. Eu estou desistindo de você. Eu estou desistindo de “nos” - se é que realmente existiu. As vezes só nos resta isto, a se fazer. Suas desculpas ainda estavam ali, espalhadas e confusas. Como se você ainda quisesse explicar ou dar sentido às coisas que só precisam ser sentidas, não explicadas. O amor não pede explicações, apenas exige certos cuidados. Cara querendo ou não eu sempre fui o pilar sentimental da relação, e em todas as suas mancadas costumava guardar tudo pra mim, e me sufocou tanto que todas essas lágrimas escondidas atrás de palavras não ditas que eu carregava cedeu, e eu desabei. Mas. Bem. A vida segue, não sei como, mas é confortável pensar assim. Eu não sei se você queria que eu lutasse ou não, mas agora tanto faz. Sinto saudades, dói um pouco. Mas não sei o que dói mais. Quando acaba, quando sentimos que acabou mais não queremos enxergar, ou quando a gente precisa cair na real que acabou e já faz tempo.
Adeus, por enquanto.  (via decepciona)
Posted 28 July 2014, 1 day ago | 279 notes | reblog this post
(originally decepciona / via decepciona)
Até hoje eu sinto um Titanic na minha consciência, diariamente naufragando e matando 1.532 pessoas. Mas sabe como é, ou você se absolve em algum nível ou vai passar o resto dos dias odiando você mesmo. E o que eu aprendi com isso tudo? Não sei. Talvez que todos nós cometemos erros. Afinal, somos todos humanos. Alguns, à sua estranha maneira.
Gabito Nunes.  (via romanteios)
Posted 28 July 2014, 1 day ago | 5,585 notes | reblog this post
(originally gabitonunes / via romanteios)
Posted 27 July 2014, 2 days ago | 10,113 notes | reblog this post
(originally ramoncavalcante / via poematizei)
Pra onde vão os nossos silêncios quando deixamos de dizer o que sentimos?
Eu me chamo Antônio.    (via roteirismo)
Posted 27 July 2014, 2 days ago | 3,062 notes | reblog this post
(originally expurgar / via roteirismo)
Dói, eu sei que dói. Dói fazer planos que não serão realizados, dói sonhar com alguém que se foi, dói quando as lembranças te pegam de jeito e a saudade não se afasta, ah, como dói… porém, o tempo, esse tal remédio popular, não cura, mas faz parar de doer, estabiliza, e daí uns dias, meses ou anos, lembrar já não lhe fará sangrar.
Clara Brandão (via senti-mentalizar)
Posted 27 July 2014, 2 days ago | 2,911 notes | reblog this post
(originally teleportear / via senti-mentalizar)